Como nos dias de Jeremias – Parte II

Compartilhe -

Os acontecimentos dos últimos dias estão me forçando a continuar a reflexão iniciada e exposta no artigo “Como nos dias de Jeremias”. Como entender o que está acontecendo no cenário político do Brasil? Até onde nos levará a luta anticorrupção? Quem são os grupos que se combatem neste cenário? Estão mesmo em lados opostos? Ou continuamos sendo enganados?

Vou iniciar nossa conversa falando do maçon Albert Pike. Albert Pike foi um herói na Guerra Civil Americana e tornou-se líder da maçonaria após a guerra. É considerado o maior líder da maçonaria de todos os tempos. São de sua autoria os principais livros de ensino maçônico (Morals and Dogma of the Ancient and Accepted Scottish Rite of Freemasonry é um deles). Ele é o maçon ocultista que recebeu, em janeiro de 1870, de “mestres cósmicos”, o Plano para o estabelecimento de uma Nova Ordem Mundial.

Entenda: O que o mundo conhecia até então era a Velha Ordem Mundial, baseada no judaísmo- cristianismo, no conceito de pecado e graça. Esta Velha Ordem precisa ser combatida, porque se opõe ao poder do Maligno, restringe sua atuação.

Este Plano aplica o conceito filosófico-ocultista da Tese x Antítese, para produzir a Síntese. A tese, a Ordem que existia, era o Capitalismo (sistema que aceita a existência de um Deus). Seria necessário criar um sistema totalmente contrário (Antítese),  o Comunismo (sistema que rejeita a existência de um Deus), para batalhar contra a Ordem existente, para que, diante do medo da Antítese dominar, o mundo venha a aceitar pacificamente a Ordem que realmente querem implantar: a Nova Ordem Mundial, um sistema em que o homem é Deus. É o reino dos homens se opondo ao Reino de Deus!

Este Plano previa a necessidade de três guerras mundiais. A Primeira e a Segunda Guerra Mundiais foram travadas para estabelecer a Antítese.

A Primeira Guerra foi planejada para permitir que a monarquia russa fosse derrubada. A História registra que tudo aconteceu exatamente como planejado, 44 anos depois. As potências europeias, em conjunto com os EUA, financiaram a expedição de Lênin até a Rússia. A monarquia abatida deu lugar a um novo governo ateísta e militarista.

A Segunda Guerra foi prevista para fortalecer o Comunismo russo e ela realmente cumpriu este objetivo, transformou a Antítese em uma superpotência. Os historiados até hoje não entendem porque o lado vencedor (Roosevelt e Churchill) entregou toda a Europa Oriental ao lado perdedor. Os maçons entendem muito bem, porque tudo fazia parte do Plano! A Antítese passou a ser chamada de URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas), ganhou literalmente um reino.

A Terceira Guerra foi prevista para ser entre o judaísmo e o islamismo. E esta batalha está sendo fomentada bem debaixo de nosso nariz (terrorismo, tentativa de criação do Estado Palestino, etc.) Este levante do Estado Islâmico contra os judeus e cristãos do mundo todo é mais uma frente de atuação para provocar uma guerra entre os dois lados, para que se cumpra o Plano! O caos e o medo desta ameaça vai fazer o mundo ansiar por um líder que nos defenda, que traga paz e segurança. O mundo estará pronto para aceitar o Anticristo e seu reino. Então será derramada a ira de Deus (I Tessalonicenses 5: 1-11).

Contei tudo isto para que você entenda como está sendo implantada a Nova Ordem em nível mundial. E agora você me pergunta: Em que isto se relaciona com a situação política-econômica atual do Brasil? Respondo: Em tudo. Você viu o grande quadro. Veja a aplicação do Plano em nível local, veja como a maçonaria continua no controle de nossa política. Tudo está interligado e agora não preciso falar muito para que você entenda.

Vivíamos sob o comando dos partidos de direita, em um sistema capitalista. Em 2003 “permitiram” que o poder fosse entregue a um partido de esquerda, que começou a implantar sutilmente as bases jurídicas necessárias para a implantação do comunismo no Brasil, patrocinados pelo dinheiro desviado através da corrupção.

Em 2015 “permitiram” que este poder continuasse agindo na liderança da nação, agora no papel de vilões com o objetivo de criar o caos e incutir nas pessoas o medo de uma real mudança de regime. Fomentam manifestações e eles mesmos vão para as ruas (viu as manifestações da maçonaria, anticorrupção, que ocorreram em todo país neste 21 de março?). Tudo isto para que sejam daqui a pouco vistos pela população como necessários e imprescindíveis para evitar o caos.

Lula, Dilma, Temer, Aércio, são todos farinha do mesmo saco. São peões em um jogo de xadrez que trabalha para fortalecer o engano dentro da nação brasileira. E cada um deles tem atuado da maneira como determina seu mentor, com competência para atingir os objetivos da “organização”.

Por outro lado, o Senhor, o Criador dos Céus e da Terra, está esperando tudo isto se cumprir, para trazer Juízo sobre a igreja brasileira, exatamente como fez com Israel através do julgo da Babilônia. Se temos praticado os mesmos pecados, viveremos a mesma condenação.

Quem lê, entenda.

Com amor,

Luciane

© 2014 Frontier Theme