As Dores de Parto e outros sinais da Volta de Cristo

Compartilhe -

Em Mateus 24, Marcos 13 e Lucas 21 temos o principal ensino de Jesus sobre os sinais da Segunda Vinda, que chamamos de Sermão Profético.

“E, estando assentado no Monte das Oliveiras, chegaram-se a ele os seus discípulos em particular, dizendo: Dize-nos, quando serão essas coisas, e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo? E Jesus, respondendo, disse-lhes: Acautelai-vos, que ninguém vos engane; Porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos. E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim. Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares. Mas todas estas coisas são o PRINCÍPIO DE DORES.” (Mateus 24:3-8)

Após falar dos eventos relacionados à destruição de Jerusalém, ocorrida em 70 DC, Ele nos falou de um período a que chamou de PRINCÍPIO DE DORES.

Paulo nos ajudou a entender melhor este período, quando afirmou em 1 Tessalonicenses 5:1-3:

“Mas, irmãos, acerca dos tempos e das estações, não necessitais de que se vos escreva; Porque vós mesmos sabeis muito bem que o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; Pois que, quando disserem: Há paz e segurança, então lhes sobrevirá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida, e de modo nenhum escaparão.”

Percebe? Os sinais da Volta de Cristo virão como as dores de parto de uma mulher grávida! Cada evento profetizado por Jesus se assemelha às contrações de uma mulher que está para dar à luz. À medida que se aproxima a Volta de Cristo, estes eventos ocorrerão com maior intensidade e em menor espaço de tempo.

No Sermão Profético temos os seguintes sinais: falsos cristos (o engano); guerras; rumores de guerras / revoluções; fomes; pestes; terremotos. Eventos como estes sempre existiram. No entanto, estes sinais têm aumentado e se tornado mais frequentes, exatamente como as dores de parto.

Veja o caso dos terremotos. Para ser considerado forte, um terremoto precisa marcar acima de 8 pontos na escala Richter.

Em 1965 tivemos um de 8.7, no Alasca. Outro forte somente voltou a acontecer em 2004, 40 anos depois. Já nos últimos dez anos ocorreram DEZ fortes terremotos, além de dezenas de terremotos moderados. As dores estão realmente ficando mais fortes! A gestação já está no fim. Daqui a pouco nascerá novo Céu e nova Terra!

Mais adiante no Sermão Profético Jesus falou de outros sinais, que também já ocorreram em nossos dias. Leia Lucas 21: 25 – 28:

“E haverá sinais no sol e na lua e nas estrelas; e na terra angústia das nações, em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas. Homens desmaiando de terror, na expectação das coisas que sobrevirão ao mundo; porquanto as virtudes do céu serão abaladas. E então verão vir o Filho do homem numa nuvem, com poder e grande glória. Ora, quando estas coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai as vossas cabeças, porque a vossa redenção está próxima..”

Neste trecho encontramos os sinais no sol, na lua, nas estrelas, e angústia nas nações pelo bramido do mar e das ondas.

Este ano tivemos dois eclipses do sol e várias notícias de anomalias no sol, que estão atraindo muitos estudiosos: um buraco coronal no polo sul; uma explosão gigante na superfície; e ainda o aparecimento de uma cicatriz quatro vezes maior que Júpiter.

Quanto aos sinais na lua, todos nós ouvimos falar sobre as luas de sangue e a tétrade lunar. Este evento raríssimo que ocorreu exatamente em 15/04/14 (Páscoa judaica), 08/10/14 (Festa dos Tabernáculos), 04/04/15 (Páscoa judaica), vai acontecer novamente em 28/09/15 (na Festa dos Tabernáculos), e somente poderá ser visto em sua totalidade se você estiver em Israel. Coincidência, ou “Jesuscidência” ? É evento tão importante que até os rabinos judeus sabem que é um sinal para Israel!

Tsunamis são eventos bem mais raros que os terremotos. Em 2004, um tsunami no Oceano Índico deixou cerca de 230.000 mortos e mais de 2 milhões de desabrigados na Índia, Indonésia, Sri Lanka, Tailândia, Maldivas e outros países do leste da África. Em 2009 ocorreu outro em razão do Terremoto de Samoa e em 2011 uma outra no Japão, causando 28 mil mortes e um desastre nuclear sem precedentes na história.

Quem acompanha as notícias sabe quantos eventos vêm acontecendo desde abril!

No dia 23, um vulcão oceânico entrou em erupção no Pacífico. Em 25, tivemos o terremoto no Nepal. Em 27, uma ilha emergiu no Japão. No dia 30 a massa de água quente gerou ondas tão fortes que prejudicaram muitos locais no Pacífico, incluindo México e El Salvador. E então os vulcões começaram a entrar em erupção, um após o outro, poluindo os céus com suas colunas de fumaça, de maneira que já são mais de 40 em atividade, em diferentes locais do mundo!

O grupo terrorista Estado Islâmico está conquistando inúmeros seguidores e avança na perseguição dos cristãos. Muito sangue inocente tem sido derramado. Há poucos dias tivemos notícia de que começaram a ameaçar os judeus. Tudo isto me lembrou da profecia de Joel:

“E mostrarei prodígios no céu, e na terra, sangue e fogo, e colunas de fumaça. O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor. “ (Joel 2: 30 – 31)

Por que tantos sinais ao mesmo tempo? Estamos mesmo em um período diferente? A Dispensação da Graça está mesmo no fim?

Não consigo deixar de considerar o que Jesus disse na Parábola da Figueira. No mesmo Sermão Profético, Jesus afirmou:

“E disse-lhes uma parábola: Olhai para a figueira, e para todas as árvores; Quando já têm rebentado, vós sabeis por vós mesmos, vendo-as, que perto está já o verão. Assim também vós, quando virdes acontecer estas coisas, sabei que o reino de Deus está perto. Em verdade vos digo que não passará esta geração até que tudo aconteça.”

Se aplicarmos a Chave, vamos descobrir que a figueira simboliza o povo de Israel:

“Um cesto tinha figos muito bons, como os figos temporãos; mas o outro cesto tinha figos muito ruins, que não se podiam comer, de ruins que eram. E disse-me o Senhor: Que vês tu, Jeremias? E eu disse: Figos: os figos bons, muito bons e os ruins, muito ruins, que não se podem comer, de ruins que são. Então veio a mim a palavra do Senhor, dizendo: Assim diz o Senhor, o Deus de Israel: Como a estes bons figos, assim também conhecerei aos de Judá, levados em cativeiro; os quais enviei deste lugar para a terra dos caldeus, para o seu bem.” (Jeremias 24:2-5)

Jesus ensinou que a geração que vir Israel brotar novamente não passará até que tudo aconteça. O “tudo” inclui os sinais e a volta de Cristo nas nuvens!

Quando Israel, que foi destruída em 70 DC, voltou a ser uma nação? Em 14 de maio de 1948.

Quanto tempo tem uma geração? Utilizando novamente a Chave, encontramos em Salmos 90:10:

“Os dias da nossa vida chegam a setenta anos, e se alguns, pela sua robustez, chegam a oitenta anos, o orgulho deles é canseira e enfado, pois cedo se corta e vamos voando. Quem conhece o poder da tua ira? Segundo és tremendo, assim é o teu furor. Ensina-nos a contar os nossos dias, de tal maneira que alcancemos corações sábios.” (Salmos 90:10-12)

Se acrescentarmos 70 a 1948, chegaremos a 2018!

Então me parece que somos mesmo a geração que verá os Últimos Dias!

Você não precisa concordar com tudo que penso a respeito do assunto, mas faça um favor a si mesmo: reflita sobre tudo isto.

Prepare-se para a Vinda de Jesus Cristo! Ande com Ele! Esteja certo de ter recebido o Seu selo: o selo do Espírito Santo!

Com amor,

Luciane

© 2014 Frontier Theme